X
Menu
Subscrever newsletter:

Da Terra ao Céu – Mastros Tradicionais

Associação PédeXumbo (Atualizado em: 9 Novembro, 2018 )

A Festa “Da Terra ao Céu” não acontecerá em maio de 2020, devido à situação que atravessamos. E, uma vez que a maioria dos eventos estão cancelados até dia 30 de setembro, não será possível reagendar a festa no ano 2020. Esperamos regressar com este projeto, desenvolvido pela PédeXumbo no concelho de Odemira desde 2017, no próximo ano, com mais novidades.

Da Terra ao Céu” não acontecerá em maio de 2020. Devido à situação que atravessamos, a PédeXumbo está a trabalhar no sentido de adiar este evento e a fazer os possíveis para que possa ser reagendado para outra data, ainda durante o ano 2020.

Em 2020, a Festa “Da Terra ao Céu” aconteceria nos dias 23 e 24 de maio em Santa Clara-a-Velha, dando assim continuidade ao trabalho de programação cultural que a PédeXumbo tem desenvolvido no concelho de Odemira, desde 2017.


No ano 2020, “Da Terra ao Céu” entra no seu 3º ano de desenvolvimento e é tempo de fazer a festa em Santa Clara-a-Velha, dando assim continuidade ao trabalho de programação cultural a que nos propusemos desenvolver no concelho de Odemira.

A Festa “Da Terra ao Céu” terá como foco o Mastro Tradicional e o envolvimento comunitário que se desenvolve à volta deste e acontecerá. Numa ideia arrojada de envolvimento comunitário com artistas convidados e a participação de público não residente na aldeia de Santa Clara-a-Velha, desafiamos todos para um conceito de festa em constante montagem, onde haverá momentos de dança com oficinas e bailes.

Todo o processo de criação do “cenário” da festa será criado em tempo real por quem constrói e usufrui do mesmo. O mote é chegar ao final da festa e ter um mastro “empinado” e que a celebração seja feita por todos os envolvidos.

Durante uma semana de residência artística artistas e projetos convidados de diferentes áreas e alguns elementos da comunidade, que são detentores do saber fazer um mastro tradicional em todas as suas componentes, serão criadas oficinas intensivas para se desenvolverem durante os dias da Festa. Estas oficinas irão partir do saber fazer local para uma abordagem conceptual que os artistas convidados vão desenvolver. Haverá ainda espaço para dinamizar uma atividade junto da comunidade escolar.de

Da Terra ao Céu – Mastros Tradicionais é um projeto que nasceu da necessidade de dar continuidade ao trabalho que se iniciou em 2017, no concellho de Odemira, com o projeto  A Ciência de Um Baile de Mastro.

Da Terra ao Céu – Mastros Tradicionais está a ser desenvolvido ao longo de quatro anos junto de diferentes comunidades e com atividades específicas em cada ano, incentivando uma refleção sobre os Mastros, assim como fazendo a ligação ao seu caráter transcultural que promove a integração da população emigrante no concelho de Odemira e o intercâmbio cultural com artistas internacionais.

O projeto  começou desta forma a ser desenvolvido em 2018 no concelho de Odemira com um conjunto de atividades que visam a investigação, documentação, divulgação, programação e criação artística sobre a prática tradicional dos Mastros!

Em 2018 o trabalho focou-se em na dinamização de oficinas de dança, movimento, som e vídeo, assim como no processo de captação de imagens e investigação para o documentário da  “Da Terra ao Céu.

Em 2019 o projeto foca-se também num maior entrosamento com a comunidade através
da integração nos ateliers de preparação para o Festival do Mastros de São Teotónio e
a participação parte da PédeXumbo na construção de um mastro a integrar o Festival.

Em 2019 é o ano da estreia do documentário realizado em 2018, “Da Terra ao Céu”e a apresentação do mesmo através de cinema itinerante associado a oficinas de dança à volta dos Mastros, bem como oficinas criativas de novas técnicas para se criar um Mastro.

Em 2020 iremos fazer uma festa em Santa Clara-a-Velha dando assim continuidade ao trabalho de programação cultural a que nos propusemos desenvolver no concelho de Odemira. A festa “Da Terra ao Céu” terá como foco o Mastro Tradicional e o envolvimento comunitário que se desenvolve à volta deste. O mote é chegar ao final da festa e ter um mastro “empinado” e que a celebração seja feita por todos os envolvidos. 

Sobre os Mastros Tradicionais

Os mastros actualmente associados às Festas de São João, em Portugal, têm origem no costume pagão de levantar o “mastro de maio”, ou a árvore de maio, costume ainda hoje vivo em algumas partes da Europa, alguns países africanos e América Latina. Com o tempo, o levantamento do mastro de maio em Portugal passou a ser erguido em junho e a celebrar as festas desse mês: um rico simbolismo católico popular está ligado aos procedimentos, envolvendo o levantamento do mastro e os seus enfeites. Partindo deste conceito de Mastro Popular, a PédeXumbo desenvolveu um projeto de investigação à volta da prática da dança em contextos de festa/celebração à “volta” dos Mastros.

De país para país, de região para região, de aldeia para aldeia, o mastro assume características próprias bem como a sua contextualização. No concelho de Odemira a PédeXumbo identificou três formas de Mastro que ainda estão vivas: Mastro Santos Populares; Mastro de Promessa e Dança das Fitas. Comum a estas três formas de Mastro encontra-se associada a dança. O mastro erguia-se, o baile “armava-se”. 

Da Terra ao Céu (trailer)

Entre o mar e a serra, do interior ao litoral, o território de Odemira é atravessado uma e outra vez em busca de quem saiba o que é fazer um mastro. Conceitos como fé, sagrado, ritual, promessa, tradição ou celebração vão-se cruzando nas memórias de cada um.
Da Terra ao Céu reúne relatos pessoais que no seu conjunto descodificam ações e práticas de outrora e que hoje encontram novas expressões e contextos. Na vontade de se “chegar mais alto”, o mastro continua a unir comunidades.

DA TERRA AO CÉU


Um filme de Pedro Grenha e Rui Cacilhas

Com
António Pedro • António Silva • Assunção Mansos • Gabriela Custódio • José António da Silva • José Júlio Oliveira • Judite dos Santos • Leonel Silva • Lídia Guerreiro • Lurdes Guerreiro • Mariana Correia • Maria Custódia Domingos • Maria da Conceição Dias • Maria de Jesus Loução • Maria Júlia Ferro • Maria Odete Ramos • Maria Rosa • Rosa Maria da Silva • Teresa Bernardino

e a participação de
Andreia Oliveira • António Pedro • António Joaquim Pedro • António Silva • Armando Cortez dos Santos • Carlos Conceição • Daniel Balinhas • Daniel Conceição • Dilar dos Santos • Gonçalo Valério • Hélder Pais Silva • Inácia Guerreiro • José Pedro • Leonilde Maria Loução • Luísa Soares • Marco Guerreiro • Mariana Gusmão • Maria Alice • Maria de Fátima Afonso • Maria de Fátima Silva • Maria Josélia • Norberto Sobral • Nuno Almeida • Paulo das Vacas • Ricardina Maria Joaquim • Ricardo Laginha • Teresa Duarte • Vânia Silva

imagem

Pedro Grenha

som
Rui Cacilhas

edição
Rui Cacilhas e Pedro Grenha

investigação
Leonor Carpinteiro • Marta Guerreiro • Pedro Grenha • Rui Cacilhas

produção executiva
Leonor Carpinteiro • Marta Guerreiro

pós-produção áudio
Carlos Olivença

pós-produção vídeo
Rui Cacilhas

legendagem
Filipe Fernandes

uma produção

PédeXumbo – Associação para a Promoção da Música e Dança

ADMIRA – Associação para o Desenvolvimento da Região do Mira

em parceria com
CCAL – Cooperativa Cultural e Artística do Alentejo

com o apoio de
Direção-Geral das Artes

Ministério da Cultura
Câmara Municipal de Odemira

Realizado em 2019

Este projeto é desenvolvido em parceria com:

Este projeto tem o apoio:

Câmara Municipal de Odemira

Driscoll’s

Taipa


 

     

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Conteúdo relacionado

Scroll to top