X
Menu
Subscrever newsletter:

Criações Artísticas

Associação PédeXumbo (Atualizado em: 9 Novembro, 2018 )

A criação artística na PX permite abordar novas formas de pensamento, que são, conforme a nossa visão e objetivos, absolutamente essenciais numa sociedade massificada e sujeita a fortes pressões de culturas dominantes e mediatizadas.

Na PX, a criação artística de bailes nasce assim de abordagens inovadoras a esta forma de cultura popular secular, partindo de repertórios registados, nomeadamente de edições em livros ou CDs, ou do convite a artistas para desenvolverem um trabalho de criação.

As criações artísticas surgem no âmbito de outros eventos e projetos, interligados na relação particular com uma determinada comunidade ou na percepção de um modelo
coreográfico capaz de ser trabalhado também em comunidade. São projetos com especial interesse para o conhecimento, valorização e devolução de estilos coreográficos e, ao mesmo tempo, um incentivo a uma visão criativa e uma atitude reflexiva. São uma ponte entre o passado, o presente e o futuro.

Criações Recentes

  

Do convite lançado pela PédeXumbo para que Inês Lopes e João Godinho reflectissem sobre o conceito de “baile português”, surge o projecto Não És Tu Sou Eu: um duo de concertinas dedicado à reinterpretação da música tradicional portuguesa, em contexto de baile. O repertório apresentado resulta de uma pesquisa aprofundada sobre uma vasta colecção de cancioneiros com recolhas de música tradicional.

Disponível para circulação em 2020, no formato de baile, concerto ou oficina. Mais informações: leonor.carpinteiro@pedexumbo.com

CHULA (áudio)

MAZURKA (áudio)

 

A Inês Lopes e o João Godinho estiveram em Residência Artística de 11 a 22 de Novembro de 2019 no Espaço Celeiros, Évora; Estreia da sua criação aconteceu em 23 de Novembro 2019, no Monte Alentejano, integrado no Desdobra-te – Festival de Dança e Outras Artes.

A PédeXumbo apercebendo-se da grande cumplicidade existente entre Inês Campos e Raphaël Decoster, e da abordagem contemporânea e criativa destes dois artistas à música e à dança tradicional, lançou o convite para que criassem um novo baile.  Deste convite nasceu o projeto HORSES, que surgiu da residência artística que decorreu em 2018 no âmbito do projecto “Novas Criações PX”, em que se propôs a criação de um novo formato de baile que apostasse na fusão do tradicional com o contemporâneo.
Em HORSES tiram-se do poço melodias de raiz tradicional e, sob um ponto de vista pessoal e experimental, Inês e Raphaël imprimem na música uma camada que não lhe pertence de base, traduzindo emoções numa “tridimensionalidade textural” composta por referências contemporâneas que ambos têm vontade de explorar.
HORSES propõe-se assim como uma festa participativa, para dançar e para cantar.
Inês e Raphaël colaboram desde 2014 em projetos relacionados com as artes visuais (exposições e performances) e tocaram juntos em diferentes Orquestras Ethno. HORSES é o primeiro projeto musical que assinam em conjunto.
Inês Campos: voz, violoncelo
Raphaël Decoster: acordeão diatónico, pedal de efeitos
Disponível para circular, mais informações: leonor.carpinteiro@pedexumbo.com
Em residência de 15 a 23 de novembro no Espaço Celeiros, Évora, 2018; Apresentação dia 23 de novembro, no Círculo Eborense, num espetáculo inserido no Festival 20AnosPX. Mais informação em breve.
UM MASTRO POR UM DIA é uma proposta artística da Associação PédeXumbo que decorreu no Centro Histórico de Évora, mais concretamente no Largo dos Mercadores, integrada no programa Artes à Rua 2018. Esta iniciativa, cruzou a música, com a dança e com as artes plásticas e é o resultado de uma residência artística única, cujo destaque assentou no facto de contar com a participação e o envolvimento da própria comunidade residente na Rua dos Mercadores e ruas próximas, na criação dos enfeites do Mastro. Direção artística de Maja Escher  Assistente artística Ariel Pinheiro Direção musical e música de Tozé Bexiga Coordenação e Produção Marta Guerreiro Produção Leonor Carpinteiro Registo Vídeo Cooperativa Cultural – CAL

Eles acordam numa enorme tela em branco e descobrem que não estão sozinhos. O que existe para além deste branco?
Nesta tela eles exprimem diferentes matizes de emoções, diferentes intensidades e cores. O amor e a raiva têm a mesma cor? Porque é que eu visto azul se gosto mais de cor-de-rosa? E o medo é preto? Então se eu estou com medo, porque é que não vejo nada preto à minha volta?

UMA CRIAÇÃO DE Ana Silvestre e Márcio Pereira
COM SONOPLASTIA DE Mara
UMA PRODUÇÃO PédeXumbo
COM O APOIO A Bruxa Teatro
CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA M6

Disponível para circular, mais informações: leonor.carpinteiro@pedexumbo.com

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Scroll to top