X
Menu
Subscrever newsletter:

Oficinas Pontuais

Associação PédeXumbo (Atualizado em: 9 Novembro, 2018 )

2020

WORKSHOP
O compositor cego e o coreógrafo surdo

Processos criativos no trabalho colaborativo entre coreógrafo(a)-bailarino(a)-performer e compositor(a)-músico(a)-intérprete durante a criação de uma peça.

12, 13 DEZEMBRO
10H-18H
ESPAÇO CELEIROS

SINOPSE

O corpo é o espírito e o objecto, e mais ainda, é o eixo do espaço sonoro” Cândido Lima
Um workshop intensivo sobre dinâmicas e conceitos aplicados no processo de composição sonora para dança com um enfoque especial, no trabalho colaborativo que ocorre entre o coreógrafo(a)-bailarino(a)-performer e o compositor(a)-músico(a)-intérprete durante a criação de uma obra.
É uma formação essencialmente prática, realizada por dois profissionais das artes performativas, um músico/compositor sonoro e uma bailarina/coreógrafa, que irão abordar temas chave que compõem esta relação a partir de uma metodologia prática e reflexiva, que tanto contextualizará os antecedentes históricos que suportam as práticas artísticas da actualidade, como desafiará cada participante no processo de descoberta do seu potencial criativo. Da escuta profunda em presença, aos processos empáticos intersubjectivos, visualizaremos a construção das primeiras células do movimento e todo o processo de desenho das linhas sonoras que estruturam as ligações frásicas de uma coreografia, até, ao esculpir das dinâmicas que moldam a musicalidade e gestualidade de cada obra.
A partir da exploração de relações de trabalho que ocorreram entre coreógrafos e compositores, como os exemplos de Martha Graham e Aaron Copland, John Cage e Merce Cunninghan, Steve Reich e Anne Teresa De Keersmaeker, iremos abordar temas e analisar conceitos relativos a este espaço de intersecção que acontece entre o coreógrafo/bailarino, músico/compositor e obra em processo, tais como: intuição, interacção espontânea, improvisação temática, criação de atmosferas sonoras (drones e texturas), composição de movimento, técnicas extensivas de interpretação musical, movimento-impulso, psicologia do som e das emoções, escuta profunda, dinâmicas, ritmos, tempo, espaço, algoritmos, acasos, aleatoriedades, suspensão-contenção, pergunta-resposta, retracção-expansão, contrapontos, sons e silêncios entre outros processos inerentes à observação do movimento e escuta do corpo.
No final do workshop, haverá uma apresentação informal ao público, através da improvisação temática ou composição em tempo real de uma peça performativa realizada pelos participantes no sentido de integração dos conteúdos abordados.
Este workshop é ideal para quem mergulha na poética do corpo como um espaço sonoro e explora estes territórios nas suas práticas profissionais ou deseja aprofundar e conhecer mais sobre este universo interdisciplinar.

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

1º MÓDULO

– Breve contextualização histórica desta relação colaborativa a partir da análise do trabalho de Martha Graham e Aaron Copland, John Cage e Merce Cunninghan, Steve Reich e Anne Teresa De Keersmaeker. Visualização de videos, audição de peças e a exposição de conceitos e dinâmicas de trabalho.

2º MÓDULO

– O Estar na Obra – A fenomenologia da relação intersubjectiva entre coreógrafo e compositor – empatia e escuta no processo artístico. Neste módulo iremos reflectir sobre os momentos iniciais de qualquer processo criativo e a necessidade entrosamento subjectivo a partir do desenvolvimento de exercícios que desafiem os participantes na criação de um tema em conjunto.

3º MÓDULO

– Métodos e Técnicas de criação/composição (Práticas artísticas e colaboração – aplicar, cruzar e seleccionar conhecimentos (a importância da colaboração artística). Neste módulo, iremos analisar e aprender a partir de exercício práticos, a desenvolver as ideias em estruturas e a reflectir sobre a semântica dos seus conteúdos na alteridade da obra.

4º MÓDULO

– Desenvolvimento de um projecto performativo para improvisação temática ou composição em tempo real.

OBJECTIVOS

Este workshop tem o intuito de ser uma formação artística complementar aos profissionais, tanto no aprofundamento de técnicas e metodologias de trabalho, como na descoberta das potencialidades criativas de cada um.
No entanto, temos como objectivos específicos, o desejo que;
– Cada participante adquira neste workshop ferramentas que o ajudem nas etapas iniciais de qualquer trabalho;
colaborativo que possam estar envolvidos dentro deste universo das artes de cruzamento disciplinar;
– Tomar consciência da seu mundo emocional e de como pode tirar partido desse material no processo de composição, bem como, do impacto, tanto no processo de fruição e na resolução de bloqueios;
– Que o mais importante não é só o conhecimento técnico que cada indivíduo possuí, mas também, o património expressivo que emerge durante as interacções e a capacidade de pensar fora da caixa “out of the box”;
– Saber transformar ideias, impulsos, impressões em formas artísticas estruturadas e saber compor uma performance de acordo com um quadro intersubjectivo dinâmico e narrativo;
– Sensibilizar os participantes para a importância da fenomenologia da criação, ou seja, o que queremos dizer, como o queremos fazer, a quem o queremos mostrar e onde o queremos fazer.

DESTINATÁRIOS

Bailarinos, performers, coreógrafos, músicos, compositores, artistas sonoros, actores, arquitectos, artistas visuais, escultores, realizadores, poetas e a todos os interessados em explorar estes horizontes das artes de cruzamento disciplinar entre a música e a dança.

CADA PARTICIPANTE DEVE TRAZER

Para o caso dos músicos, ou artistas sonoros, o seu próprio equipamento.
A todos os restantes participantes, roupa confortável e um objecto, que pode ser um livro, uma imagem, um poema, algo encontrado ao acaso que seja significativo, qualquer coisa que represente algo da pessoa.

CUSTO

60€ por inscrição
Inscrições limitadas (máx. 11 participantes)

Clica em Formulário de Inscrição

FORMADORES

Luis Fernandes, é um artista lusófono, de origem francesa, realizador, músico, artista sonoro e arte-terapeuta. Licenciado em Psicologia, com especialização em Arte-Terapia e master em Cinema Documental de Autor. Já foi nomeado como melhor realizador português na categoria de video dança pelo Festival Inshadow(2013), recebeu algumas menções honrosas, esteve em selecção oficial no Jecheon-Festival Internacional de Música & Filme na Coreia do Sul, recebeu o prémio de 2º melhor documentário Europeu pelo Festival Musiclip de Barcelona (2013), prémio de melhor edição/montagem no FigueiraArt Fim Fest (2016) e no geral, os seus filmes já correram os quatro cantos do
mundo em mostras oficiais e festivais de cinema documental e video arte. Artista sonoro, improvisador, experimentalista e compositor em tempo real, já colaborou com diversos músicos e projectos, dos quais se realça; Lupanar, Bicho de 7 Cabeças, Cantos do Mar, Lisbon SoundPainting Orchestra, Odedomindinho, Velha Gaiteira, Uxucalhos (Baile Tradicional Europeu e Português) , o proj. Mistério da Vozes Vulgares, o Colectivo
Improvável e o projecto de música Qawwali e Hindú do músico KM Mosatafa Anwar(Bangladesh). É músico activo na cena de música improvisada nacional, fundador do Orquestra de Música Visual – CACO, do projecto AU.RA (sound art project) e integra a Orquestra de Foles da Associação Nacional de Gaita de Foles. Colabora activamente em projectos Interdisciplinares, em especial com a dança contemporânea, destacando a Companhia de Dança Amalgama, o projecto “Compota (jam)” performance multidisciplinar interactiva da coreógrafa Paula Pinto, a peça “Ruído Branco” de Clara
Marchana, o projecto a solo de Maria Fonseca, intitulado “DEN.TRO”, com produção da Associação Cultural Útero, a peça “PRETA” do actor e bailarino Giovanni Lourenço, o projecto de storyteller de Margarida Botelho “POKA POKANI” e em sessões de contacto improvisação, destacando a intervenção no Asturias Contact Festival(2015) com o workshop-performance de improvisação em tempo real, em parceria com a balarina Irene Alvarez, intitulado “NADA”. Faz parte de direcção da Cooperativa Glocalmusic, onde se encontra de momento a realizar um filme documentário sobre Arte e Inclusão social e a desenvolver projecto inclusivos através das artes e está em fase de produção da sue novo filme documentário de autor sobre o universo da experimentção musical da sociedade portuguesa.

Clara Marchana, nasceu em Lisboa. É Licenciada em Dança pela Escola Superior de Dança de Lisboa e em Teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Concluiu o Curso Profissional de Artes Circenses na Escola Profissional de Artes e Ofícios do Espetáculo, Chapitô. Desde 2019 frequenta o Mestrado em Artes da Coreografia na Codarts University of Arts Rotterdam e a Fontys School of Fine Arts Tilburg. Como intérprete, tem trabalhado com diversos coreógrafos e encenadores, entre os quais se destacam Philippe Genty, Pedro Ramos, Amélia Bentes, Paula Pinto, Alexandra Battaglia, Madalena Vitorino, Miguel Moreira, Ko Murobushi, Christine Chu, Yuko Kawamoto, Claudio Hochman, Nuno Carinhas, Rogério de Carvalho, João Perry, Rui Mendes, José Wallenstein, Paulo Campos dos Reis e Mário Trigo. Como coreógrafa, criou o solo “Lost and Found” para o bailarino Tiago Correia, no âmbito do Concurso de Melhor Intérprete lançado pelo IPL, ganhando este o prémio de Menção Honrosa; o solo “Narrativa Interior”, estreado na Quinta da Regaleira, em Sintra, “Swan Lake” versão
a solo, a partir da obra do coreógrafo Mats Ek, apresentado no Palácio de Monserrate, “Magner” apresentado no M.A.R. em Sines, “Ruído Branco” estreado no Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra. É fundadora e diretora artística da companhia Madrasta Dance e actualmente é Bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian (Bolsas Gulbenkian em Artes Visuais e Performativas).

Workshop de Dança Sénior com Ana Paula Santos | Sábado 14 de Abril 2018 | 10h00 às 18h00 PLANO DE FORMAÇÃO – Workshop Intervir no envelhecimento com a Dança Sénior DANÇA SÉNIOR A Dança Sénior foi criada pela alemã Ilse Tutt, em 1971, coreógrafa e psicopedagoga social. Foi elaborada com o objetivo de enriquecer as atividades de ocupação de tempos livres e estimular a população sénior. É um conjunto de coreografias baseadas em danças folclóricas e de salão, de diversas origens, moldadas particularmente às capacidades da pessoa sénior. Todos os participantes poderão interagir sem conhecimentos prévios de dança. Tem duas modalidades: danças sentadas e danças em pé. Proporciona diversos benefícios: estimula as capacidades motoras, cognitivas e socioemocionais; promove um maior autoconhecimento e sensação de bem-estar; ativa o sistema cardiovascular; e induz uma melhoria na qualidade do sono. OBJETIVOS GERAIS – Divulgar a Dança Sénior; – Adquirir competências que permitam aplicar a Dança Sénior junto da população sénior e assim intervir no envelhecimento. OBJETIVOS ESPECÍFICOS – Caracterizar a Dança Sénior; – Praticar as duas modalidades da Dança Sénior; – Aprender a dinamizar as duas modalidades da Dança Sénior. DESTINATÁRIOS Animadores, professores de educação física, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicomotricistas, psicólogos e outros profissionais técnicos superiores que intervêm ou queiram intervir com a população sénior. CONTEÚDOS 7h00 (das 10h às 18h) – O que é a Dança Sénior? – 10 danças sentadas – 3 danças em pé INSCRIÇÕES O limite mínimo para realizar a formação é 8 participantes e o limite máximo é 16. AVALIAÇÃO A avaliação será prática, demonstrativa da dinamização de uma dança sentada e de uma dança em pé, e será por observação do empenho e participação ao longo de toda a formação. OUTRAS INFORMAÇÕES As músicas e o manual de coreografias serão facultados. Serão realizadas filmagens das danças que também serão facultadas. Valor: 50€ por pessoa Inscrições: leonor.carpinteiro@pedexumbo.com || T.913 742 993

Workshop de Dança Oriental com Marta Dias | Sábado 17 de Março | 15h00 às 18h30

Workshop dedicado à Dança Oriental abordando diferentes expressões do movimento feminino conforme os países e contextos culturais.
Introduz as principais bases de movimento inerentes à Dança Oriental ressaltando a expressividade feminina como uma característica fundamental nesta dança e algumas características que nos permitem compreender os diferentes estilos e géneros desta dança. Neste workshop falaremos sobre alguns dos acessórios usados e característicos nesta Dança e, introduzimos o uso do véu.

Módulo I Dança Oriental (duração 1h30 horas) 15h00 – 16h30
– Movimentos elementares característicos na Dança Oriental Qualidades que evidenciam o movimento feminino na Dança Oriental
– Introdução ao uso do véu
– Criatividade no uso do véu

Módulo II Dança Oriental (duração 1h30 horas) 17h00 – 18h30
– Movimentos elementares característicos na Dança Oriental
– Dinâmicas coreográficas a solo e em grupos
– Movimentação espacial

Marta Dias: Licenciada em Dança pela Escola Superior de Dança e Diplomada do Curso “Danças com Tradição” Faculdade de Motricidade Humana. Há mais de 15 anos que se dedica à pesquisa de Danças Rom e Danças do Médio Oriente em diferentes países, valorizando na sua aprendizagem, o contato com as diferentes comunidades e a sensibilização das diferentes expressões populares, tradicionais e contemporâneas como uma via de inovação e criação no método artístico. Atuou com: Gadjé (Portugal) , Taraf de Haidouks ( na Roménia), Ensemble Turco (na Turquia), Palinka (Portugal – Moldávia), Al Caravan ( Espanha- Marrocos), La menina sin Nombre ( França), Vagabonde Ópera (EUA), Nota de Plata ( Roménia – Portugal), Orquestra Marroquina (Marrocos) , Muloma (em Cabo Verde), entre muitos outros. Viveu na Roménia em diferentes comunidades ciganas e trabalhou no projecto Nota de Plata de música-dança com músicos ciganos romenos em Lisboa. Leciona cursos de Danças do Médio Oriente e Danças Romani em várias escolas e festivais de Dança.

Mais informações e inscrições: leonor.carpinteiro@pedexumbo.com

Custo:
€25 por aula
€35 se combinado com o Workshop de Dança Romani do dia 18 Março

Para quem se dirige esta formação:
– Adultos de Qualquer idade (crianças se acompanhadas)

Material necessário:
– Roupa e calçado prático e confortável.

Formulário de Inscrição
(pré-inscrição obrigatória até 15 de Março)

Esta formação está sujeita a um número mínimo de inscrições.

Para mais informações:
Leonor Carpinteiro
leonor.carpinteiro@pedexumbo.com | +351 913 742 993

Workshop de Dança Romani com Marta Dias | Domingo 18 de Março | 10h00 às 13h15

Dança Gypsy Romani nasce da pesquisa de aspetos fundamentais do movimento rom (cigano) abraçando, entre a tradição e a originalidade, uma dança plena de ritmo, força e poesia.
Este workshop funde a aprendizagem da dança e expressão cigana romani, a um universo lúdico e de conexão de grupo. Visa desafiar as nossas capacidades rítmicas, comunicativas e incentivar a imaginação livre e criativa de cada um. Procura a sinergia das danças femininas e masculinas do povo rom, criando um estilo zíngaro com fortes bases tradicionais e ao mesmo tempo ousado e próprio.

Módulo I Danças Romani Russas (duração: 1h30) 10h00 – 11h30
Introdução a passos e sapateados característicos nas danças ciganas russas Uso de xaile/saia na Dança Romani
Expressão e intenção como impulsionador do movimento
Excerto coreográfico de tema musical romani da Rússia

Módulo I Danças Romani romenas (duração: 1h30) 12h00 – 13h15
Introdução a passos e pequenos saltos característicos nas danças ciganas romenas (Transilvânia) Atitude e caráter nas danças romani romenas.
Introdução a Gypsy Body Percussion
Excerto coreográfico de tema musical romeno

Marta Dias: Licenciada em Dança pela Escola Superior de Dança e Diplomada do Curso “Danças com Tradição” Faculdade de Motricidade Humana. Há mais de 15 anos que se dedica à pesquisa de Danças Rom e Danças do Médio Oriente em diferentes países, valorizando na sua aprendizagem, o contato com as diferentes comunidades e a sensibilização das diferentes expressões populares, tradicionais e contemporâneas como uma via de inovação e criação no método artístico. Atuou com: Gadjé (Portugal) , Taraf de Haidouks ( na Roménia), Ensemble Turco (na Turquia), Palinka (Portugal – Moldávia), Al Caravan ( Espanha- Marrocos), La menina sin Nombre ( França), Vagabonde Ópera (EUA), Nota de Plata ( Roménia – Portugal), Orquestra Marroquina (Marrocos) , Muloma (em Cabo Verde), entre muitos outros. Viveu na Roménia em diferentes comunidades ciganas e trabalhou no projecto Nota de Plata de música-dança com músicos ciganos romenos em Lisboa. Leciona cursos de Danças do Médio Oriente e Danças Romani em várias escolas e festivais de Dança.

Custo:
€25 por aula
€35 se combinado com o Workshop de Dança Oriental do dia 17 Março

Para quem se dirige esta formação:
– Adultos de Qualquer idade (crianças se acompanhadas)

Material necessário:
– Roupa e calçado prático e confortável.

Formulário de Inscrição
(pré-inscrição obrigatória até 15 de Março)

Esta formação está sujeita a um número mínimo de inscrições.

Para mais informações:
Leonor Carpinteiro
leonor.carpinteiro@pedexumbo.com | +351 913 742 993

Oficina de Dança Oriental com Elsa Shams | Sábado 11 de Novembro | 15h30 a 17h30

Dança Oriental, a tradução de Raks Sharki, é por excelência a dança do feminino. Por tradição e há mais de 500 anos feita por mulheres em homenagem à deusa da fertilidade nas margens do Nilo, sendo hoje praticada por todos em todo o mundo. Desenvolve-se no sentido da descoberta do feminino, da valorização do corpo e expressão do sentir, da delicadeza da alma e da energia telúrica, criativa e emergente. Continua a ser uma forma de celebração.Elsa Shams:
Elsa Shams foi encontrando na Dança Oriental a sua própria essência, a harmonia e o desfrute em equilíbrio, a alma e o corpo dialogando.A sua forma de expressão bebe num conhecimento ancestral que tantas e tantas mulheres perpetuaram nos tempos. Estuda danças tradicionais do mundo desde 1998 dando aulas e atuando a solo e com seu grupo profissional. Ensina de forma lúdica e rigorosa fazendo com que a prática conduza à melhor evolução para a sublimação corpo.Para quem se dirige esta formação:
– Adultos de Qualquer idade (crianças se acompanhadas)

Formação Danças (En)Cantadas e Outras Não com Mirjiam Dekker | Sábado 14 Outubro | 10h00 – 18h00


Formação em didáticas de dança tradicional para criançasHoje em dia, é consensual que o movimento físico e a dança, em particular, aumentam a eficiência e desempenho da aprendizagem dos alunos. A dança tradicional internacional é o meio de escolha, pois consegue incluir em si grande acessibilidade, flexibilidade e possui uma riqueza infinita em material de movimento. Fora disso pode ligar-se facilmente com outras disciplinas como por exemplo música e canto, Português e outras línguas, matemática, estudo do meio, geografia, etc.Nesta formação, o livro “Danças (En)Cantadas e outras não” será usado como ponto de partida:
– Serão ensinadas algumas danças como exemplos de métodos de ensino.
– Esses exemplos serão postos em prática através de exercícios em grupo.
– Também serão treinados métodos como adaptar danças a certos grupos-alvo.
– Os exercícios são refletidos em observação e discussão.
– A estrutura de uma aula de dança.
( http://teacherpop.org/2015/01/science-says-your-classroom-needs-more-dance-pa… )

Formadora:
Mirjam Dekker, autora do livro “Danças (En)Cantadas e outras não”, licenciada (Rotterdamse Dansakademie, Holanda, 1987) em dança tradicional, contemporânea e Jazz por via ensino; professora, bailarina e coreógrafa.

Os objetivos desta formação:
– Promover o ensino da dança tradicional para crianças;
– Articular o ensino da dança com práticas de ensino regular;
– Oferecer ferramentas pedagógicas para que os participantes da formação possam desmistificar pré-conceitos relativamente à dança na sala de aula e realmente melhorar ou enriquecer as suas práticas pedagógicas.

Para quem se dirige esta formação:
– Educadores de infância; Professores do ensino básico e secundário de todos os grupos de recrutamento; Monitores de dança em instituições; Animadores sociais; outros tipos de profissionais que trabalham com crianças e público em geral. (Não é necessário qualquer conhecimento prévio em dança)

Material necessário:
– Roupa e calçado prático e confortável.
– Material para anotações.

Preço:
45€ por pessoa com o livro incluído.
20€ por pessoa, caso já tenham adquirido o livro.

Formulário de Inscrição
(pré-inscrição obrigatória até 12 de Outubro)

Esta formação está sujeita a um número mínimo de inscrições.

Oficina de Viola Amarantina com Eduardo Costa | Sábado e Domingo, 18 e 19 Junho | 11h00 – 18h00


Eduardo Costa dinamizará um curso de viola amarantina, no Espaço Celeiros, no seguimento da sua visita a Évora para a exposição e concerto-conversa que acontecerão no espaço de exposições e pátio da INATEL, na Rua Serpa Pinto, sobre o renascimento deste instrumento de cordas tradicional português,Eduardo Costa, professor de educação visual e educação tecnológica, tem-se dedicado à viola amarantina, um instrumento que esteve em vias de desaparecer, e cujo renascimento Eduardo Costa é em parte responsável. Criou a associação “Propagode, Associação Cultural e Musical” em 2011 e dos trabalhos desta coletividade tem promovido o ensino da viola amarantina a jovens e adultos, a nível individual, sendo dele também o projeto “Viola Amarantina – Apaixona-te de Novo”.A Viola Amarantina, também designada de viola de Amarante, é típica da região do Douro Litoral. Menos conhecida do que a viola minhota, diferencia-se por ter uma escala mais comprida, até à boca, e ostenta dois corações, que se julga estarem ligados a uma história de amor envolvendo um trovador medieval. Esta Viola aparece principalmente nas “Festadas”, onde o seu tocador acompanha as “Chulas”, características da região do Baixo Tâmega. A viola amarantina possui 5 ordens de cordas duplas: as duas ordens mais agudas estão afinadas em uníssono, as três ordens mais graves estão afinadas em oitava. Algumas fontes dão a seguintes afinações : Lá Mi Si Lá Ré, do agudo para o grave, e a “Moda Velha” Lá Fá# Si Sol Ré.O preço desta oficina é de 30€ pelos dois dias e poderão ser disponibilizadas violas mediante aviso prévio.

Inscrições prévias aqui.

Curso Movimento e Voz com Catarina Ascensão

13 e 14 Maio | Espaço Celeiros, Évora | 10h00 -18h30


Uma viagem sensorial para um fim de semana de aprofundamento e imersão no corpo, na música, na dança, na voz.
Catarina Ascensão é a dinamizadora deste encontro-viagem, acompanhado pela música de Pedro Prata. O mote é dado com um Baile-Folk com Parapente700, prosseguindo com programação diversa e intensiva que incluirá oficinas de expressão, movimento, dança, voz, massagem entre outras dinâmicas.

O curso será parcialmente acompanhado pela música de Pedro Prata.

Programa:
Sábado . 13 Maio
10h -11h45 – Círculo de Abertura/ Aquecimento / Noções de Postura
12h – 13h – O Corpo no Espaço / O Espaço do Corpo
14h – 16h30 – A Dança a Dois … A Dança em Colectivo
16h45 – 18h30 – Massagem Intuitiva / Toque Consciente
22h00 – 12h00 – Concerto Sound-Journey com Pedro Prata

Pedro Prata
Um ser de poucas palavras que nos transporta ao seu universo musical através das cordas de uma guitarra…
o caminho…o espaço… a viagem… a vibração que atravessa o silêncio… que ecoa dentro do corpo…

Domingo . 14 Maio
10h30 -11h30 – Aquecimento Corpo e Voz
11h45 – 15h – Conexão / Escuta / Musicalidade
(olhos vendados, incluindo o almoço)
15h15 – 17h – A Dança a Dois … A Dança em Colectivo
17h – 17h30 – Círculo de Encerramento

Para mais informações sobre conteúdo do curso:
catarinaascensao@ymail.com
http://catarinaascensao.weebly.com/

Inscrições obrigatórias (até 8 de maio)
Sócio PX 80€ | Geral 100€
Inclui refeições, acantonamento e concerto com Parapente700 dia 12 maio

Sábado, 22 Abril e Domingo 23 Abril | 11h00 -18h00 | Oficina Prática de Iniciação ao Som com Fernando Mendes

Esta oficina será realizada num contexto de iniciação à temática do som. Terá as componentes teórica e prática. Na componente teórica serão analisados temas como a propagação do som, período, frequência, comprimento de onda, ligações e conectores de áudio. Na prática vão ser realizados trabalhos de manuseamento de cabos de áudio e microfones, captação e introdução à operação de mesas de mistura de áudio. A oficina terá a duração de 129 horas iniciando com a componente teórica.

Fernando Mendes Bio:
Após experiências profissionais em áreas distintas frequentou o curso profissional de Técnicas de Produção de Áudio em Montemor-o-novo.
Foi na Sociedade Harmonia Eborense que se iniciou profissionalmente na área do som. Desde então trabalha como freelancer em empresas e associações realizando concertos, festivais de música, conferências, espetáculos de dança e teatro.
Paralelamente é também professor da disciplina de Física do Som no curso profissional de Instrumentista de Jazz oferecido pela Ofício das Artes.Datas oficina: 22-23 Abril 2017
Preço por pessoa: Sócio/aluno PX: 24€ | Geral 30€
Horário:
Sáb 22 – 11h às 18h
Dom 23 – 09h às 16h
Localização: Espaço Celeiros, Évora
(inscrições obrigatórias)

11 Março | 11h00 – 18h00 | Oficina Intensiva de Danças Galegas com Sergio Cobos


As danças Galegas são lindíssimas e muito ricas na combinação de movimentos. Pretende-se mostrar e ensinar alguns dos infinitos passos das danças mais características da Galiza como são as muiñeiras ou as xotas. Ritmos, formações espaciais, criação de frases – puntos – a contextualização sócio-histórica, são alguns dos conteúdos que serão abordados no curso.
Sérgio Cobos é especializado em música e dança tradicional Galega através da formação na escola de folcklore “CANTIGAS E AGARIMOS”, em trabalho de campo e recolhas Etnocoreográficas e etnomusicológicas desde 1989. Foi director musical e intérprete de dança na companhia GS21 assim como intérprete do grupo VIOLIA (música tradicional galega) e fundador e intérprete de TREBÓN (Novas tendências da dança galega).Colaborador como bailador de diferentes grupos musicais como Berrogueto, Xosé Manuel Budiño e Marful entre outros. É ilustrador de diferentes trabalhos e actualmente investiga para a criação de uma nomenclatura e simbologia ad hoc ao baile tradicional galego chamado “cara ós Bailegramas”. É director música e acordeonista no projecto Aqui Há Baile. Bailarino e músico na peça “Fica no Singelo” da companhia Clara Andermatt.Data: 11 de Março, das 11h às 18h
Espaço Celeiros, Évora
(com pausa para almoço das 13h às 14h)

Preço: 20€ por pessoa //Sócios PX têm 20% de desconto: 16€

Inscrições obrigatórias até 10 de Março, em formulário online aqui.

Para mais informações:
Opção de pernoita em acantonamento para quem vier de fora, e refeições completas a 5€ por pessoa (pré-reservadas)
leonor.carpinteiro@pedexumbo.com
913742993

1 Fevereiro 2017 | 15h00 – 18h00 | Oficina Intensiva de Danças Urbanas com Melissa Sousa

Uma oportunidade única para explorar o universo das Danças Urbanas com um nome inspirador e promissor deste estilo de dança em Portugal – Melissa Sousa. Formada pela International School Peridance Capezio Center de Nova Iorque, bailarina, coreógrafa e formadora com mais de 10 anos de experiência, é também fundadora do grupo FunkadelicCrew, e vai estar em Évora, no Espaço Celeiros para uma oficina intensiva de Danças Urbanas, onde estilos como Hip-Hop e House, entre outros serão explorados e aprendidos.As três horas desta oficina intensiva serão repartidas em três fases com uma uma metodología base, contudo flexível conforme as apetências dos participantes:1ª Fase, Conhecimento – onde será feita a introdução teórica às Danças Urbanas (Hip Hop e House) que permitirá na prática uma melhor compreensaõ e interpretação da dança e os ritmos associados de cada estilo.2ª Fase, Bases e influências – onde se aprofundará as bases rítmicas do estilo, tal como a importancia do “groove” existente na dança. Exploram-se as diferentes sensações rítmicas e passos, conforme a mudança e evolução da música, e também influenciado por outros estilos de dança.

3ª Fase, Identidade – onde será explorada a musicalidade, através de exercícios orientados para a improvisação num ambiente descontraído, abrindo a porta à valorização da individualidade e à descoberta do próprio movimento.

Pretende-se criar, a oportunidade para aprofundar o significado e conhecer as técnicas, esclarecer a visão e fundamentos teóricos, abrindo espaço à interpretação e improvisação do movimento.

Esta oficina destina-se tanto para iniciados como para pessoas com experiência em dança a partir dos 14 anos.

Preço:10€ por pessoa.
Pré-inscrição obrigatória até 10 de fevereiro através formulário online
ou através do email: leonor.carpinteiro@pedexumbo.com t. 913 742 993.

Reserve já o seu lugar! Não deixe passar esta oportunidade única em Évora!

Inspire-se e veja vídeos da Melissa aqui, aqui e aqui!

BIO: Melissa Sousa
Oriunda da Venezuela, formada em Nova Iorque e actualmente residente em Portugal. Há mais de 10 anos que se dedica às Danças Urbanas (Hip Hop, House, Tap entre outras influências). Participou já em diversas competições de dança, nacionais e internacionais, tendo já ganho vários prémios. Dança e ensina dança com o objectivo de enriquecer na plataforma performativa e continuar a envolver-se e nutrir-se em projectos que reflitam a Dança como espelho da Vida.

– Fundadora e Diretora da organização FunkadelicCrew – ativista e colaboradora para a comunidade da dança e artes no global;
– Formada em dança no programa de estudos intensivos da International School Peridance Capezio Centro da cidade de Nova Iorque;
– Organizadora de vários eventos Nacionais e Internacionais, dos quais se destacam destaca primeira competição de top styles na Venezuela e do Festival das Ladies of Hip Hop de NY (Portugal);
– Professora de oficinas de dança em Staten Island (Nova Iorque), Portugal, Colômbia e Venezuela;
-Juri em Campeonatos de Coreografia e Freestyle battles tais como: Dance championship Hip Hop Sem Parar (Portugal) Esposende Street Dance Battle, Hip hop International, (Portugal)
-Directora Artística da Companhia: Funkadeliccrew
-Bailarina em “Tour” com os músicos Erin Leah Canning , Victor Drija, Kimany Marley
-Bailarina estágiaria no Mentorship Program com Dana Foglia, (Londres)
-Solista de Hip Hop para showcase privado na Alvin Alley Academy, (Nova Iorque)
-Bailarina do Laboratorio – Performativo com Sandrine Lescourant, (Portugal)
-Bailarina de Sapateado convidada para Festival “World Tap Day” (Portugal)
-Coreógrafa participante, “Laboratorio de Criação” Companhia Instável, (Portugal)
-Coreógrafa e Bailarina na criação En el Vacío, com estreia no Palcos instáveis, Teatro Campo Alegre

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Conteúdo relacionado
<
>
1º Ciclo de Formação da Bolsa de Instrumentos PX
De dezembro a março - "Sábados a Dançar" para pais e filhos
12 e 13 de dezembro - Workshop “O compositor cego e o coreógrafo surdo”
Inscrições abertas para "O compositor cego e o coreógrafo surdo", um workshop de composição sonora para dança
Está a chegar o 1º Ciclo de Formação da Bolsa de Instrumentos PX!
"Sábados a Dançar" na PédeXumbo, com várias atividades para pais e filhos
Zampadanças a "Dançar na Sobreda", em Almada
Este ano podem aprender acordeão, trompete, saxofone, flauta transversal, guitarra, trompa e violino, no Espaço Celeiros
As Aulas Regulares regressam ao Espaço Celeiros, com música e dança
Oficina de Mastros Tradicionais para pais e filhos
PédeXumbo no "Dia da Ecologia" com uma Oficina de Mastros Tradicionais
Ciclo de Formação "A Criatividade nas Danças Tradicionais" volta em Setembro, para o terceiro módulo
Ciclo de Formação “A Criatividade nas Danças Tradicionais” - 7, 8, 9, 10, 15, 16, 17 e 18 de Setembro
Às Quartas nos Celeiros - julho
Ainda há vagas para o Workshop Kontakte – Criação Sonora para Movimento no Espaço Celeiros
Kontakte - Workshop de Criação Sonora para Movimento
Vem aí mais um Chá Dançante com Mercadinho de Natal!
Workshop Kontakte - Criação Sonora para Movimento no Espaço Celeiros em Janeiro
Aulas de Danças de Tradição do Mundo de regresso a Castro Verde!
Inscrições abertas para a formação "Criatividade e a Dança" em Lisboa.
Estamos à procura de propostas para os Celeiros 2019/20
Os Burricos vêm até Évora em Abril para uma Oficina de Danças Tradicionais Portuguesas e Baile Folk
Oficina de Danças Tradicionais Portuguesas com "Os Burricos"
Chá Dançante de Março nos Celeiros!
Concerto Baile Folk no Espaço Celeiros com "Os Burricos"

Scroll to top